Patch Cords confeccionados em fábrica. Garantia de desempenho e qualidade

Há poucos anos atrás, as redes instaladas utilizavam links de 10Mbits para estações de trabalho e 100 Mbits interligando equipamentos. Hoje é cada vez mais comum redes totalmente em 1GBit desde a área de trabalho até a interligação com servidores. Já existem estudos e linhas de produtos que suportam redes de 10Gbits sobre cabeamento metálico.
https://www.researchpdf.com/
https://www.epdfrg.com/

Os Patch Cords têm grande influência no desempenho da rede, seja nas taxas de transmissão, na quantidade de bit-errors como também no desempenho do canal.

A evidência desta importância é o fato das normas internacionais como TIA/EIA e ISO/IEC recomendarem a confecção do Patch Cord em fábrica. Outro ponto importante referenciado para solução de problemas em redes é verificar e trocar os Patch Cords.

Para garantir a performance elétrica de um Patch Cord, além das características elétricas dos cabos é importante observar outros pontos, que não podem ser verificados em campo e que nem sempre são de conhecimento do cliente e afetam o desempenho da rede:

• Utilização de plugs não compatíveis com o cabo. Há plugs para cabos rígidos e sólidos e conectores mistos • Altura de Crimpagem. Os 8 contatos devem ter altura uniforme • Ausência de testes de performance do Patch Cord. Quando conectorizados em campo, os Patch Cords não são testados. • Configuração incorreta (inversão de pares)

Também há a possibilidade de:

• Utilização de ferramentas inadequadas ou com problemas de manutenção que podem gerar falhas de contato.

Abaixo um exemplo do uso de uma ferramenta de crimpagem inadequada que pode danificar os conectores fêmea ou deformar o macho RJ-45, gerando problemas de desempenho da rede (atenuação, next ou return loss).

Lateral do plug danificada pelo alicate

Conclusão

Para o usuário final, a utilização de Patch Cords confeccionados em fábrica é uma garantia de desempenho e qualidade dos produtos, uma vez que eles são testados antes de serem enviados ao mercado. Isso melhora a relação custo x benefício, pois evita a compra de maiores quantidades do mesmo material. É comum também, ao fazer a conectorização em campo, utilizar sobras de cabos de outras instalações para confeccioná-lo, o que vai de encontro ao estabelecido pelas normas.